Comprar um veículo zero quilômetro nem sempre é a realidade dos consumidores brasileiros: Atualmente a grande maioria recorre aos usados ou semi-novos em lojas e feirões espalhados por todo país. Muitos compradores se deixam levar apenas pela aparência e o que pode parecer um ótimo negócio, acaba se transformando em uma grande dor de cabeça. Mas como tentar minimizar estes riscos? A resposta é pesquisar muito, avaliar e se for o caso, pedir para um mecânico de sua confiança acompanhá-lo nesta empreitada.

Se isto não for possível, seguem algumas boas dicas:

  • Solicite o manual do proprietário e verifique se o proprietário realizou as manutenções periódicas (isto também ajuda a garantir que o hodômetro não foi adulterado);
  • Veja se o desgaste de pneus, bancos, volante e pedais condizem com a quilometragem marcada;
  • Tonalidade diferente da pintura indica que o veículo foi reparado;
  • Verifique o alinhamento das portas, quinas e para-choques;
  • Balance o carro para checar se a suspensão e amortecedores apresentam oscilação excessiva;
  • Veículos que passaram por enchentes têm odor na cabine e danos no carpete e estofamentos;
  • Faça test drive para checar se há ruídos ao passar sobre pisos irregulares ou ao acionar os freios;
  • Fumaça escura saindo do escapamento acusa defeitos no motor e desgaste excessivo de peças;
  • Confira se os números de chassi, vidros e placa são os mesmos impressos na documentação;

Lembre-se que estes procedimentos são o mínimo necessário para evitar  futuros transtornos; Adotá-los pode garantir a satisfação na nova aquisição. Fique atento e boa sorte!